Programa da Paróquia

sexta-feira, 16 de abril de 2021

«São José: o sonho da vocação»

SEMANA DE ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES
Mensagem do Papa Francisco para o Dia Oração pelas Vocações, a 25 de abril de 2021, Domingo do Bom Pastor.

Neste ano especialmente dedicado a São José, por ocasião dos 150 anos da sua declaração como Padroeiro da Igreja Universal, o Papa parte da sua figura paterna para nos falar das vocações, destacando 3 palavras: sonho, serviço e fidelidade. De 18 a 25 de abril, decorre esta Semana de Oração que convida os cristãos a rezar pelas vocações.


Tocar e ver o Corpo de Jesus ressuscitado

18 de abril de 2021 | 3º Domingo da Páscoa
Leituras | Lectio (áudio) | Lectio (texto) | Comentário | Avisos | Boletim

A surpresa da manhã de Páscoa é envolvida por um misto de sentimentos. Ao anúncio das mulheres, juntara-se o de Simão e, agora, o dos discípulos de Emaús. Na comunidade afirmava-se já que “realmente o Senhor ressuscitou” (Lc 24, 34). Mas quando Jesus se apresenta no meio deles, o Evangelho fala-nos de espanto e de medo, de alegria e admiração, de julgarem “ver um espírito”… O caminho da fé dos primeiros discípulos é percorrido por esta complexidade. Pela dúvida e pela alegria dessa tão grande novidade que parece quase impossível de nela acreditar!

É neste ambiente que São Lucas insere todos os elementos sensíveis que nos lançam para uma experiência “palpável” da presença do Ressuscitado. Não é um “fantasma”, fruto da ilusão ou imaginação, mas o mesmo Jesus que tinha percorrido com eles os caminhos da Palestina, com as marcas da crucifixão, que pode ser visto e tocado na realidade nova do seu corpo ressuscitado. Continuidade e descontinuidade unidas no corpo glorioso de Cristo.

Ao comentar este texto, diz-nos o Papa Francisco: «A insistência de Jesus sobre a realidade da sua Ressurreição ilumina a perspetiva cristã sobre o corpo: o corpo não é um obstáculo, nem uma prisão da alma. O corpo é criado por Deus, e o homem só é completo em união de corpo e alma. Jesus, que venceu a morte e ressuscitou em corpo e alma, faz-nos entender que devemos ter uma ideia positiva do nosso corpo. Ele pode tornar-se ocasião ou instrumento de pecado; contudo, o pecado não é provocado pelo corpo, mas pela nossa debilidade moral. O corpo é um dom maravilhoso de Deus, destinado, em união com a alma, a manifestar plenamente a imagem e a semelhança d’Ele. Portanto, somos chamados a ter grande respeito e cuidado do nosso corpo e do corpo dos outros» (Angelus, 15 de abril de 2018).

Por fim, o texto sugere-nos que é no encontro com o Ressuscitado, com Ele no centro da comunidade cristã, que se compreendem as Escrituras: é no seu Espírito que se entra de verdade no sentido da Palavra, e se acolhe a missão de ser testemunha.

sábado, 10 de abril de 2021

O desafio da fé no Ressuscitado

11 de abril de 2021 | 2º Domingo da Páscoa
Leituras | Lectio (áudio) | Lectio (texto) | Comentário | Avisos | Boletim


O acreditar, a fé, é sempre um confiar-se para além do que se toca e vê... Para lá das provas cientificamente comprováveis, um lançar-se com a razão, o afeto e a vontade, nos braços do Mistério onde apenas por dentro se compreende o sentido, e dá sentido...

Tomé é tão vizinho do homem moderno, que quer tocar para acreditar... Ele teve a ousadia de não se fechar nas dúvidas, mas de se abrir à resposta no lugar onde as poderia encontrar: oito dias depois, na comunidade crente, é capaz então de ver, de «tocar» de uma outra forma, a presença viva de Jesus.

E Jesus faz-se realmente presente, «oito dias depois», quando, no ritmo dominical, a Igreja se volta a reunir para, no testemunho da unidade, no perdão pedido e assumido, na Palavra escutada e atualizada na vida, no Pão consagrado e partilhado, se celebra o Mistério desta mesma Presença constante do amor de Jesus que não cessa de nos dar a paz e de soprar sobre nós o mesmo Espírito de Amor que inflamou os discípulos desde a primeira hora.

sexta-feira, 2 de abril de 2021

Jesus envia-nos a anunciar a alegria da ressurreição

4 de abril de 2021 | Domingo da Páscoa da Ressurreição
Leituras | Lectio (áudio) | Comentário | Avisos | Boletim


"Se ontem [Sexta-feira Santa], com as mulheres, contemplamos «Aquele que trespassaram», hoje, com elas, somos chamados a contemplar o túmulo vazio e ouvir as palavras do anjo: «Não tenhais medo! Ressuscitou». Esta é a base e a força que temos, como cristãos, para gastar a nossa vida e o nosso ardor, inteligência, afetos e vontade na busca e, especialmente, na criação de caminhos de dignidade. «Não está aqui... Ressuscitou!». É o anúncio que sustenta a nossa esperança e a transforma em gestos concretos de caridade.

Celebrar a Páscoa significa voltar a crer que Deus irrompe sem cessar nas nossas vicissitudes, desafiando os nossos determinismos uniformizadores e paralisantes.

A pedra do sepulcro desempenhou o seu papel, as mulheres fizeram a sua parte, agora o convite é dirigido mais uma vez a ti e a mim: convite a quebrar os hábitos rotineiros, renovar a nossa vida, as nossas escolhas e a nossa existência; convite que nos é dirigido na situação em que nos encontramos, naquilo que fazemos e somos; com a «quota de poder» que temos. Queremos participar neste anúncio de vida ou ficaremos mudos perante os acontecimentos?

Não está aqui, ressuscitou! E espera por ti na Galileia, convida-te a voltar ao tempo e lugar do primeiro amor, para te dizer: «Não tenhas medo, segue-Me»."


Desafio para o Domingo de Páscoa
Coloca um ramos de flores junto da Bíblia, do catecismo, do coração, da semente e da cruz no teu “Canto da Palavra” em casa, e acende a vela.

Escuta e acompanha um momento de oração que podes encontrar AQUI.

Para os mais pequenos, está disponível uma proposta AQUI.

Senhor Jesus,
hoje escutamos e celebramos
a maior boa notícia de todos os tempos:
Tu estás vivo, ressuscitaste, o túmulo está vazio!
Acolher a tua presença, escutar a tua Palavra e seguir o teu exemplo
é o caminho da vida eterna,
dessa vida boa, bela e feliz que queres partilhar connosco.
Ajuda-nos a vencer todos os medos
e a viver na certeza de que vais sempre à nossa frente.
Envia-nos e faz de nós testemunhas da tua ressurreição.

Nós te pedimos pelas crianças e adolescentes da catequese e suas famílias, para que, acolhendo a Boa Nova da ressurreição, sejam testemunhas da vida e da esperança no mundo.

Ao longo desta semana, temos o desafio rezar o texto do Evangelho deste domingo, e partilhar uma mensagem pelo telemóvel ou nas redes sociais, inspirada no que hoje escutámos:

«Na Eucaristia, Jesus envia-nos a anunciar a alegria da ressurreição!»

Alargar o "Canto da Palavra" para fora de casa: à porta de casa, no exterior, coloca uma cruz ornamentada com flores (brancas). Estas cruzes podem ser fotografadas e partilhadas nas redes sociais.



sexta-feira, 26 de março de 2021

Programa da Semana Santa 2021




DOMINGO DE RAMOS NA PAIXÃO DO SENHOR:
Sábado, 27 de março:
18h15: Via Sacra, no interior da igreja paroquial
19h00: Missa, com a bênção dos ramos no interior da igreja
Domingo, 28 de março:
11h00: Missa, com a bênção dos ramos no interior da igreja

Segunda-feira, 29 de março:
19h30: Missa, na igreja paroquial

Terça-feira, 30 de março:
19h30: Missa, na igreja paroquial

Quarta-feira, 31 de março:
19h30: Missa, na igreja de São Jorge

QUINTA-FEIRA SANTA, 1 DE ABRIL
11h00: Missa Crismal, na Sé
19h30: Missa da Ceia do Senhor, na igreja paroquial
21h30: Retiro Popular

SEXTA-FEIRA SANTA, 2 DE ABRIL
10h00: Confissões, na igreja paroquial
15h00: Celebração da Paixão, na igreja paroquial
21h00: Via Sacra, na igreja paroquial

SÁBADO SANTO, 3 DE ABRIL
21h30: Solene Vigília Pascal, na igreja paroquial, com a Bênção das Famílias

DOMINGO DE PÁSCOA, 4 DE ABRIL:
10h00: Missa, na igreja paroquial, com a Bênção das Famílias
11h30: Missa, na igreja paroquial, com a Bênção das Famílias
15h30: Celebração da Bênção das Famílias, na igreja do Casal do Relvas
16h00: Celebração da Bênção das Famílias, na igreja dos Casais de Matos
16h30: Celebração da Bênção das Famílias, na igreja de São Jorge

Na Eucaristia, celebramos a oferta da vida de Jesus por nós

28 de março de 2021 | Domingo de Ramos na Paixão do Senhor
Leituras | Lectio (áudio) | Comentário | Avisos | Boletim | Rezar a Palavra



A multidão é versátil. Basta um orientador hábil para manipulá-la em qualquer sentido, o melhor e o pior. Houve o melhor, para Jesus, aquando da sua entrada em Jerusalém. Houve o pior, quando a multidão gritou: "Crucifica-O!"

Pregado na cruz, Jesus gritará com uma voz forte: "Meu Deus, meu Deus, porque Me abandonaste?" É o início de um salmo, que termina com um cântico de esperança e de louvor. Então, diz-se, Jesus crucificado rezou todo este salmo. O seu grito não foi um grito de desespero. Foi o grito que os evangelistas retiveram e os assistentes (os Judeus, porque os soldados romanos não conheciam os salmos) compreenderam que Jesus chamava o profeta Elias em seu socorro. Eles não fizeram expressamente a ligação com o salmo.

Em Jesus, é o Filho eterno do Pai que se fez homem, "em tudo semelhante aos seus irmãos, exceto o pecado". Ele veio habitar o todo do humano. Era preciso que Jesus fosse até ao fim do caminho real dos homens: até à morte física, mas primeiro até à noite interior, onde não existe mais nada. Onde o silêncio de Deus parece ser a única resposta. Senão, os desesperos dos homens teriam escapado à presença de Deus.

Eis porque, hoje, eu posso ir até Jesus com as minhas mais profundas obscuridades: Ele é capaz de vir com a sua presença, para que seja a vida, e não a morte, a vencer definitivamente!

Desafio para o Domingo de Ramos
Coloca uma cruz junto da Bíblia, do catecismo, do coração e da semente no teu “Canto da Palavra” em casa, e acende a vela.

Escuta e acompanha um momento de oração que podes encontrar AQUI.
Para os mais pequenos, está disponível uma proposta AQUI.

Senhor Jesus,
antes da tua morte na cruz, na hora da despedida,
não nos deixaste uma lembrança, uma recordação simbólica,
uma imagem, ou um objeto querido de estimação…
Tu deixaste-te a ti mesmo com todo o amor entregue por nós
no dom do Pão e do Vinho, Corpo e Sangue,
a tua presença real e total, vivo, ressuscitado.
Obrigado, Jesus, por te quereres fazer assim presente
e “escondido” para nós, na Eucaristia.

Nós te pedimos pelas crianças e adolescentes da catequese e suas famílias, para que acolham a tua presença real na Eucaristia, e cresçam no desejo de te escutar na Palavra e de te receber na Comunhão.

Ao longo desta semana, temos o desafio rezar o texto do Evangelho deste domingo, e partilhar uma mensagem pelo telemóvel ou nas redes sociais, inspirada no que hoje escutámos:

«Na Eucaristia, celebramos a oferta da vida de Jesus por nós!»

Alarga o "Canto da Palavra": em casa um crucifixo; à porta de casa, no exterior, uma cruz ornamentada com verdura. No Domingo de Páscoa, essa mesma cruz passa a ser ornamentada com flores (brancas). Estas cruzes podem ser fotografadas e partilhadas nas redes sociais.



sábado, 20 de março de 2021

«Nós queríamos ver Jesus»

21 de março de 2021 | 5º Domingo da Quaresma
Leituras | Lectio (áudio) | Comentário | Avisos | Boletim | Rezar a Palavra



"Queremos ver Jesus"... Em resposta ao pedido dos Gregos, Jesus anuncia a sua próxima "glorificação", isto é, a sua morte. Estranha associação esta, da morte com a glória! Mas Jesus explica: "Se o grão de trigo, lançado à terra, não morrer, fica só; mas se morrer, dará muito fruto".

Sabemos que, na realidade, o grão enterrado na terra sofre uma profunda transformação. O seu invólucro exterior deve rebentar e acabar por desaparecer para que o germe, até então escondido, possa crescer e produzir novos grãos. Na morte de Jesus acontece a "explosão" da Ressurreição. Os discípulos reconhecem em Jesus a presença imediata de Deus. Então, Ele será glorificado.

A "glória" é o "peso", no sentido de "densidade", de um ser. A verdadeira glória, a verdadeira densidade do ser de Jesus, é que a sua humanidade é o lugar da incarnação do Filho eterno do Pai. Porque estamos ainda no tempo da germinação secreta, não vemos ainda esta glória do Senhor. Mas acolhendo o testemunho dos apóstolos que "comeram e beberam com Ele depois da sua ressurreição de entre os mortos", podemos deixar-nos atrair por Jesus, acolher e ver "já" pela fé o seu mistério de glória, e testemunhar assim, no coração do mundo, que Ele, o Filho do homem, é verdadeiramente o Filho de Deus, vencedor da morte.


Desafio para o 5º Domingo da Quaresma
Coloca uma semente (de trigo) junto da Bíblia, do catecismo e do coração no teu “Canto da Palavra” em casa, e acende a vela.

Escuta e acompanha um momento de oração que podes encontrar AQUI.
Para os mais pequenos, está disponível uma proposta AQUI 

Senhor Jesus,
depois de escutarmos, no Evangelho,
o pedido de alguns gregos que te queriam ver,
também nós apresentamos os nossos pedidos.
Acreditamos que tu queres o nosso bem
e, por isso, dás a vida por nós,
como grão de trigo lançado à terra.
Querendo ver-te presente na Eucaristia,
na nossa vida e no mundo à nossa volta,
apresentamos agora, com confiança, os nossos pedidos.

Nós te pedimos pelas crianças e adolescentes da catequese e suas famílias, para que, na resposta à Palavra de Deus, peçam sempre a graça de te ver e se encontrarem contigo.


Ao longo desta semana, temos o desafio rezar o texto do Evangelho deste domingo, e partilhar uma mensagem pelo telemóvel ou nas redes sociais, inspirada no que hoje escutámos:

«Na Eucaristia, vemos Jesus e fazemos-lhe os nossos pedidos!»