Programa da Paróquia

quarta-feira, 29 de julho de 2020

29 de julho, dia de Santa Marta

Os Evangelhos contam-nos que Jesus encontra na casa de Marta, Maria e Lázaro, em Betânia, uma pequena aldeia a poucos quilómetros de Jerusalém, um lugar de acolhimento e repouso. São Lucas (Lc 10, 38-42) diz-nos que Marta era quem se atarefava a preparar todas as coisas para o bom acolhimento de Jesus, e São João (Jo 11), conta-nos da fé desta mulher que, apesar de Lázaro estar morto há vários dias, acredita que Jesus, a ressurreição e a vida, é o Filho de Deus, e tudo o que pedir ao Pai, Ele lho concederá, e pode ver o seu irmão a sair do túmulo.

A tradição conta que, depois das primeiras perseguições dos cristãos, Marta, Maria, Lázaro e outros discípulos de Jesus, teriam deixado a sua terra e se terão dirigido para a região francesa da Provença, onde teriam anunciado a fé e constituído uma comunidade cristã.

Neste dia dedicado à sua memória, recordamos as palavras do Papa Francisco a 21 de julho de 2019, quando o Evangelho do dia narrava o acolhimento de Jesus em casa de Marta e de Maria:

(...) São Lucas diz que foi ela [Marta] quem acolheu Jesus. Talvez Marta fosse a mais velha das duas irmãs, não sabemos, mas certamente esta mulher tinha o carisma da hospitalidade. Com efeito, enquanto Maria ouve Jesus, ela está totalmente ocupada com os numerosos serviços. Por isso, Jesus diz-lhe: “Marta, Marta, estás inquieta e perturbada com muitas coisas”. Com estas palavras, Ele certamente não tenciona condenar a atitude de serviço, mas sobretudo a ansiedade com que às vezes ele é vivido. Também nós compartilhamos a preocupação de Santa Marta e, seguindo o seu exemplo, propomo-nos fazer com que, nas nossas famílias e comunidades, se viva o sentido de hospitalidade e fraternidade, para que todos possam sentir-se “em casa”, especialmente os pequeninos e os pobres quando batem à porta.

Portanto, o Evangelho de hoje recorda-nos que a sabedoria do coração consiste precisamente em saber conjugar estes dois elementos: contemplação e ação. Marta e Maria indicam-nos o caminho. Se quisermos saborear a vida com alegria, devemos associar estas duas atitudes: por um lado, “estar aos pés” de Jesus, para o ouvir enquanto Ele nos revela o segredo de tudo; por outro, estar atentos e prontos na hospitalidade, quando Ele passa e bate à nossa porta, com o rosto do amigo que tem necessidade de um momento de conforto e fraternidade. É necessária esta hospitalidade!

Maria Santíssima, Mãe da Igreja, nos conceda a graça de amar e servir a Deus e aos nossos irmãos com as mãos de Marta e o coração de Maria para sermos artífices de paz e de esperança, permanecendo sempre à escuta de Cristo. E isto é interessante: com estas duas atitudes, seremos artífices de paz e de esperança.


Sem comentários:

Publicar um comentário