Programa da Paróquia

sábado, 23 de maio de 2020

Reinício das celebrações comunitárias da Missa

30 e 31 de Maio | Igreja paroquial da Calvaria

A partir do próximo fim-de-semana, 30 e 31 de maio, voltaremos a uma certa normalidade, com a possibilidade da presença dos fiéis nas celebrações da Missa. Não será bem igual ao que tínhamos antes da pandemia: há normas que temos de seguir, nomeadamente no que diz respeito à desinfeção das mãos e ao uso obrigatório de máscara protetora, assim como o distanciamento social que estipula que se deve respeitar a distância mínima de segurança entre participantes de modo que cada fiel disponha, só para si, de um espaço mínimo de 4m2 (esta regra do distanciamento não se aplica a pessoas da mesma família ou que vivam na mesma casa).

Missas dominicais apenas na igreja paroquial
A igreja paroquial vai ser preparada para este reinício das celebrações e, no próximo fim-de-semana, as celebrações serão apenas na igreja paroquial da Calvaria. Assim, na igreja paroquial, haverá a Missa no sábado, 30 de maio, às 19h; e no domingo, dia 31 de maio, às 11h. A igreja pode receber cerca de 50 pessoas (embora não seja possível prever o caso dos grupos familiares). Algumas portas ficarão abertas também para que, eventualmente, quem o queira possa participar no exterior.

Entretanto, veremos as condições para poder retomar a celebração da Missa vespertina, ao sábado, em São Jorge.

Missas durante a semana
Em relação às missas durante a semana, continuaremos a celebrar na Calvaria às segundas e sextas-feiras. Às quartas-feiras continuará a celebração, de forma rotativa, nas igrejas não-paroquiais, já com a possibilidade da presença de um grupo reduzido de pessoas, tendo em conta as características / tamanho de cada igreja, pois deveremos seguir as mesmas normas de uso de máscaras, desinfeção das mãos e distanciamento social nessas celebrações.~

A partir do início do mês de junho, a missa durante a semana será às 20h.

Estamos num tempo de incerteza a dar passos nunca dados; o decisivo é, naturalmente, a responsabilidade de cada um: há de cuidar de si e velar pelos outros, procurando respeitar sempre distâncias de segurança e medidas de higiene.

A Ascensão não é ausência, mas plenitude

24 de maio de 2020 | Solenidade da Ascensão
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

Jesus afirma-o no evangelho deste Domingo: «Eu estou sempre convosco até ao fim dos tempos». Não está fisicamente, mas permanece presente e ativo em todos os lugares e todos os tempos: na Palavra proclamada, na fé celebrada sacramentalmente, na vida partilhada que atualiza o mandamento do amor...

E Jesus quer continuar esta presença: por isso envia aqueles que n'Ele acreditam a ensinar e a batizar. É a missão dos cristãos: trazer à realidade cultural de cada tempo o sentido de uma vida partilhada com o Deus de Amor que liberta e salva.

Alguns, diz o texto, «ainda duvidaram»... mesmo na presença do Senhor ressuscitado: a fé é uma caminhada de confiança, não uma certeza "cientifica", mas uma relação que se sente e se vive com a ousadia de se deixar amar por Ele. Ele que «ascende» para se manter presente.

sábado, 16 de maio de 2020

Presença constante em nós

17 de maio de 2020 | 6º Domingo da Páscoa
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

O evangelho deste domingo centra-se numa promessa de Jesus: Ele vai partir, mas não deixará os discípulos abandonados a si mesmos, «não vos deixarei órfãos...». Ele pedirá ao Pai, que enviará outro «Paráclito», o Espírito Santo que defende e conforta, o «Espírito da verdade» que habita connosco e está em nós.

É o Amor de Deus, a sua Presença constante que, em nós, tem essa dupla missão. Por um lado, dar-nos segurança, conforto, esperança diante das adversidades e tentações, dos nossos medos e incertezas, para percorrermos o caminho envolvidos na certeza do amor de Deus que nunca nos abandona mesmo quando nos sentimos envolvidos pela noite escura e o silêncio… Por outro lado, como «Espírito da verdade», é quem conserva em nós a memória viva da pessoa e palavra de Jesus, ajudando-nos a discernir o tempo presente à luz de Deus, para sabermos guardar o mandamento do amor nas situações concretas da vida, e assim nos encaminharmos cada vez mais para a verdade de nós mesmos no encontro com a Deus da Verdade plena. É este Espírito, assim acolhido, sempre connosco, que nos dá a capacidade de sempre nos superarmos, e não nos deixarmos arrastar pelo medo.

Vinde Espírito Santo, 
enchei os corações dos vossos fiéis 
e acendei neles o vosso amor.

sábado, 9 de maio de 2020

"Calvaria Unida" leva refeições à linha da frente da luta contra o COVID

Sábado, 9 de maio, ao início da tarde, o salão paroquial da Calvaria começa a receber muitos dos elementos da Comissão da Festa em honra de Santa Marta de 2020, e outros voluntários da Paróquia, para uma nova iniciativa: desafiados a colaborarem com o fornecimento de refeições quentes a algumas instituições, juntam a colaboração de pessoas e empresas, quer para o serviço necessário, quer para os bens alimentares, e puseram mãos à obra.

“Calvaria Unida contra COVID” é o nome desta iniciativa que, nas palavras do Luís Miguel Costa, o “Letcha” – como é conhecido o coordenador da Comissão da Festa – é uma forma de “continuar a manter a equipa da Comissão da Festa unida e a funcionar, mas sobretudo de ajudar aqueles que mais precisam por estarem na linha da frente deste combate contra o COVID”.

Ao longo deste dia de sábado fazem-se os preparativos para, no domingo, dia 10, ao final da manhã, poderem sair cerca de 150 refeições quentes para serem distribuídas por todas as Companhias de Bombeiros da zona: Porto de Mós, Juncal, Batalha e Mira de Aire, assim como aos profissionais de saúde mais implicados no acompanhamento dos doentes de COVID no Hospital de Leiria, e ainda a algumas pessoas necessitadas da Paróquia.

A ementa inclui o caldo verde e a fritada, como prato principal, rissóis, pasteis de bacalhau e pão com chouriço, bebidas várias, frutas e uma variedade de doces de sobremesa. Um pequeno sinal da comunidade da Calvaria de apreço para com todos os que estão nestes serviços sempre tão necessários, mas neste momento particular tão importantes para o cuidado dos mais atingidos por esta pandemia. Um gesto de humanidade e agradecimento para continuarmos a encontrar um sorriso em quem se dedica ao cuidado dos doentes.

sexta-feira, 8 de maio de 2020

Caminho, Verdade e Vida

10 de maio de 2020 | 5ª Domingo da Páscoa
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

1. «Em casa de meu Pai há muitas moradas»
A casa do Pai é o espaço onde se reúne a sua família. Para nós, a Igreja é a concretização desta casa onde todos os que acolhem a vida de Deus se reúnem como irmãos. Nela há muitas moradas, há lugar para todos, na diversidade e especificidade de cada um. Mas também com algo que a todos nos une: a mesma Fé, a mesma Esperança, o mesmo Deus e Pai. A Igreja é a comunidade dos Homens Novos que querem viver a aventura de seguir o caminho traçado por Jesus.

2. «Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por Mim»
Qual o caminho a seguir para fazer parte desta família de Deus? Jesus dá-nos a resposta: é Ele mesmo o caminho. É a sua vida, as suas palavras, os seus gestos, a sua entrega de amor e por amor que nos revelam o itinerário a percorrer também por nós. Quem aceita percorrer esse caminho torna-se, de verdade, filho de Deus, encontra a verdade de si mesmo, saboreia a plenitude da vida.

3. «Quem acredita em Mim fará também as obras que Eu faço e fará obras ainda maiores»
Acreditar em Jesus não é apenas admirar o que Ele fez ou disse… Acreditar é deixar-se transformar por dentro pela presença do seu Espírito, continuar hoje a sua obra, ter a capacidade de se dispor a realizar, com os outros, obras ainda maiores… Sozinhos podemos não ter capacidade para fazer muito, mas em Igreja, junto com os irmãos, na casa do Pai, o pouco de cada um torna-se em muito…

sábado, 2 de maio de 2020

Informação sobre a Catequese na Paróquia


Perante o atual estado de pandemia, estando já certo que, até ao Verão, não voltará a haver aulas presenciais para as crianças e adolescentes que frequentam também os grupos de catequese, não voltarão a realizar-se encontros presenciais de catequese na nossa Paróquia. Esta realidade lança a todos novos desafios para a vivência, educação e transmissão da fé, e todos têm um papel importante: as Famílias, a Comunidade, os Catequistas, e os próprios Catequizandos.

A nível nacional, temos o apoio que é dado com os programas semanais que vão sendo transmitidos pelos meios de comunicação. A nível diocesano, estão a ser disponibilizados também alguns materiais para motivar para a vivência da fé nas famílias para ajudar precisamente naquele que é o papel imprescindível dos pais na educação cristã dos seus filhos.

Entretanto, em diálogo com o Secretariado Paroquial da Catequese, ficou também decidido que seriam canceladas todas as celebrações e festas da catequese previstas para este terceiro trimestre. Como tinham sido já canceladas a Festa do Perdão (3º ano), do Pai Nosso (2º ano), Festa da Vida (8º ano) e da Primeira Comunhão (3º ano), ficam também canceladas a Festa da Palavra (4º ano), a Festa da Avé Maria (1º ano), a Festa da Profissão de Fé (6º ano) e a Festa do Compromisso (9º ano) e do Envio (10º ano). Quanto à celebração do Crisma, fica por enquanto agendada para a data prevista, a 27 de setembro.

Apesar de não termos ainda a possibilidade de reagendar estas celebrações, tudo indica que poderemos levantar a possibilidade de as realizar, quanto possível, durante o primeiro trimestre do próximo ano pastoral, nomeadamente a Primeira Comunhão e Profissão de Fé.

Para isso, é importante não apenas que os catequizandos possam continuar a sua caminhada catequética em família durante este ano (através dos apoios atrás referidos), mas também procurar antecipar o início dos encontros no próximo ano pastoral. Assim, caso seja possível, o reinício da catequese será marcado para meados de setembro, dando algum tempo para que se possa consolidar a caminhada prevista para este terceiro trimestre de catequese.

Confiamo-nos a Maria, neste Mês de Maio, pedindo a sua proteção e conforto, entregando nas suas mãos as nossas famílias e o caminho de crescimento na fé das crianças e adolescentes.

sexta-feira, 1 de maio de 2020

Para que tenham vida em abundância

3 de maio de 2020 | 4º Domingo da Páscoa
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

Jesus apresenta-se como o «Pastor» que entra pela porta principal, aquele que conhece as ovelhas, e cuja voz é por elas conhecida, um pastor que encaminha o rebanho para boas pastagens para que tenham vida, e vida em abundância. Mas não só Pastor, Ele é também a «porta» que dá acesso à vida: só percorrendo o caminho que é Ele próprio, se chega à vida definitiva.

Duas parábolas que nos falam da confiança que Jesus nos convida a ter: o Amor de Deus quer dar-nos a possibilidade de encontrar um caminho para o verdadeiro sentido e valor da vida. No encontro com Ele, a sua voz torna-se familiar, e torna-se mais certo o seguimento dos seus passos, passando pela mesma «porta». Seguindo o mesmo caminho que Jesus seguiu, tornando-nos verdadeiros discípulos, abre-se o horizonte da «vida em abundância».

A «vida em abundância» não se pode confundir com o «gozar a vida numa euforia perpétua»... Mesmo estes tempos de isolamentos e privações, não são impeditivos de uma vida bem vivida, uma vida abundante: talvez seja bom deixarmo-nos sempre repensar, e à nossa «qualidade de vida», à luz do Amor de um Pastor que, de facto, quer o nosso bem... e "aproveitar" estes tempos para nos familiarizarmos sempre mais com o Pastor que vale a pena seguir.

Oração do Terço no Mês de Maio de 2020

PROPOSTA PARA AS FAMÍLIAS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES

O mês de maio é um mês que a Igreja dedica de uma forma particular a Maria, Mãe de Jesus e nossa Mãe. Este ano de 2020, vivemos este mês marcados pelo confinamento e isolamento social. Não podendo estar fisicamente juntos para celebrar e rezar em grupo ou nas paróquias, acolhemos o desafio do Papa Francisco que, numa carta dirigida a todos os fiéis para este mês de maio de 2020, convida a valorizar o papel da família também do ponto de vista espiritual, e a “descobrir a beleza de rezar o Terço em casa no mês de maio. Podeis fazê-lo juntos ou individualmente: decidi vós de acordo com as situações, valorizando ambas as possibilidades. Seja como for, há um segredo para bem o fazer: a simplicidade.”

O nosso Bispo, D. António Marto, reforça este convite do Papa, convidando a este "Oração dos Simples". Na carta que escreveu à Diocese para este mês de maio, vai uma referência especial aos pastorinhos de Fátima, “que levaram a sério o pedido de Nossa Senhora”. D. António Marto também quer ver envolvidas nesta oração todas as crianças de Leiria-Fátima, pedindo aos adultos que, para isso, as ensinem “de modo pedagógico, prático, gradual e progressivo, de acordo com a sua idade”. Sugere que “as crianças mais pequeninas podem rezar somente três ave-marias, as maiores dez e os adolescentes todo o rosário, quer dizer, os cinco mistérios.”

Nesse sentido, disponibilizam-se esquemas para cada um dos dias, preparados pelos secretariados da catequese da zona centro, que vão ser progressivamente disponibilizados AQUI.

- Introdução orações para rezar o Terço

- 1 de maio, sexta-feira
- 2 de maio, sábado
- 3 de maio, domingo
- 4 de maio, segunda-feira
- 5 de maio, terça-feira
- 6 de maio, quarta-feira