Programa da Paróquia

sábado, 23 de maio de 2020

Reinício das celebrações comunitárias da Missa

30 e 31 de Maio | Igreja paroquial da Calvaria

A partir do próximo fim-de-semana, 30 e 31 de maio, voltaremos a uma certa normalidade, com a possibilidade da presença dos fiéis nas celebrações da Missa. Não será bem igual ao que tínhamos antes da pandemia: há normas que temos de seguir, nomeadamente no que diz respeito à desinfeção das mãos e ao uso obrigatório de máscara protetora, assim como o distanciamento social que estipula que se deve respeitar a distância mínima de segurança entre participantes de modo que cada fiel disponha, só para si, de um espaço mínimo de 4m2 (esta regra do distanciamento não se aplica a pessoas da mesma família ou que vivam na mesma casa).

Missas dominicais apenas na igreja paroquial
A igreja paroquial vai ser preparada para este reinício das celebrações e, no próximo fim-de-semana, as celebrações serão apenas na igreja paroquial da Calvaria. Assim, na igreja paroquial, haverá a Missa no sábado, 30 de maio, às 19h; e no domingo, dia 31 de maio, às 11h. A igreja pode receber cerca de 50 pessoas (embora não seja possível prever o caso dos grupos familiares). Algumas portas ficarão abertas também para que, eventualmente, quem o queira possa participar no exterior.

Entretanto, veremos as condições para poder retomar a celebração da Missa vespertina, ao sábado, em São Jorge.

Missas durante a semana
Em relação às missas durante a semana, continuaremos a celebrar na Calvaria às segundas e sextas-feiras. Às quartas-feiras continuará a celebração, de forma rotativa, nas igrejas não-paroquiais, já com a possibilidade da presença de um grupo reduzido de pessoas, tendo em conta as características / tamanho de cada igreja, pois deveremos seguir as mesmas normas de uso de máscaras, desinfeção das mãos e distanciamento social nessas celebrações.~

A partir do início do mês de junho, a missa durante a semana será às 20h.

Estamos num tempo de incerteza a dar passos nunca dados; o decisivo é, naturalmente, a responsabilidade de cada um: há de cuidar de si e velar pelos outros, procurando respeitar sempre distâncias de segurança e medidas de higiene.

A Ascensão não é ausência, mas plenitude

24 de maio de 2020 | Solenidade da Ascensão
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

Jesus afirma-o no evangelho deste Domingo: «Eu estou sempre convosco até ao fim dos tempos». Não está fisicamente, mas permanece presente e ativo em todos os lugares e todos os tempos: na Palavra proclamada, na fé celebrada sacramentalmente, na vida partilhada que atualiza o mandamento do amor...

E Jesus quer continuar esta presença: por isso envia aqueles que n'Ele acreditam a ensinar e a batizar. É a missão dos cristãos: trazer à realidade cultural de cada tempo o sentido de uma vida partilhada com o Deus de Amor que liberta e salva.

Alguns, diz o texto, «ainda duvidaram»... mesmo na presença do Senhor ressuscitado: a fé é uma caminhada de confiança, não uma certeza "cientifica", mas uma relação que se sente e se vive com a ousadia de se deixar amar por Ele. Ele que «ascende» para se manter presente.

sábado, 16 de maio de 2020

Presença constante em nós

17 de maio de 2020 | 6º Domingo da Páscoa
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

O evangelho deste domingo centra-se numa promessa de Jesus: Ele vai partir, mas não deixará os discípulos abandonados a si mesmos, «não vos deixarei órfãos...». Ele pedirá ao Pai, que enviará outro «Paráclito», o Espírito Santo que defende e conforta, o «Espírito da verdade» que habita connosco e está em nós.

É o Amor de Deus, a sua Presença constante que, em nós, tem essa dupla missão. Por um lado, dar-nos segurança, conforto, esperança diante das adversidades e tentações, dos nossos medos e incertezas, para percorrermos o caminho envolvidos na certeza do amor de Deus que nunca nos abandona mesmo quando nos sentimos envolvidos pela noite escura e o silêncio… Por outro lado, como «Espírito da verdade», é quem conserva em nós a memória viva da pessoa e palavra de Jesus, ajudando-nos a discernir o tempo presente à luz de Deus, para sabermos guardar o mandamento do amor nas situações concretas da vida, e assim nos encaminharmos cada vez mais para a verdade de nós mesmos no encontro com a Deus da Verdade plena. É este Espírito, assim acolhido, sempre connosco, que nos dá a capacidade de sempre nos superarmos, e não nos deixarmos arrastar pelo medo.

Vinde Espírito Santo, 
enchei os corações dos vossos fiéis 
e acendei neles o vosso amor.

sábado, 9 de maio de 2020

"Calvaria Unida" leva refeições à linha da frente da luta contra o COVID

Sábado, 9 de maio, ao início da tarde, o salão paroquial da Calvaria começa a receber muitos dos elementos da Comissão da Festa em honra de Santa Marta de 2020, e outros voluntários da Paróquia, para uma nova iniciativa: desafiados a colaborarem com o fornecimento de refeições quentes a algumas instituições, juntam a colaboração de pessoas e empresas, quer para o serviço necessário, quer para os bens alimentares, e puseram mãos à obra.

“Calvaria Unida contra COVID” é o nome desta iniciativa que, nas palavras do Luís Miguel Costa, o “Letcha” – como é conhecido o coordenador da Comissão da Festa – é uma forma de “continuar a manter a equipa da Comissão da Festa unida e a funcionar, mas sobretudo de ajudar aqueles que mais precisam por estarem na linha da frente deste combate contra o COVID”.

Ao longo deste dia de sábado fazem-se os preparativos para, no domingo, dia 10, ao final da manhã, poderem sair cerca de 150 refeições quentes para serem distribuídas por todas as Companhias de Bombeiros da zona: Porto de Mós, Juncal, Batalha e Mira de Aire, assim como aos profissionais de saúde mais implicados no acompanhamento dos doentes de COVID no Hospital de Leiria, e ainda a algumas pessoas necessitadas da Paróquia.

A ementa inclui o caldo verde e a fritada, como prato principal, rissóis, pasteis de bacalhau e pão com chouriço, bebidas várias, frutas e uma variedade de doces de sobremesa. Um pequeno sinal da comunidade da Calvaria de apreço para com todos os que estão nestes serviços sempre tão necessários, mas neste momento particular tão importantes para o cuidado dos mais atingidos por esta pandemia. Um gesto de humanidade e agradecimento para continuarmos a encontrar um sorriso em quem se dedica ao cuidado dos doentes.

sexta-feira, 8 de maio de 2020

Caminho, Verdade e Vida

10 de maio de 2020 | 5ª Domingo da Páscoa
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

1. «Em casa de meu Pai há muitas moradas»
A casa do Pai é o espaço onde se reúne a sua família. Para nós, a Igreja é a concretização desta casa onde todos os que acolhem a vida de Deus se reúnem como irmãos. Nela há muitas moradas, há lugar para todos, na diversidade e especificidade de cada um. Mas também com algo que a todos nos une: a mesma Fé, a mesma Esperança, o mesmo Deus e Pai. A Igreja é a comunidade dos Homens Novos que querem viver a aventura de seguir o caminho traçado por Jesus.

2. «Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por Mim»
Qual o caminho a seguir para fazer parte desta família de Deus? Jesus dá-nos a resposta: é Ele mesmo o caminho. É a sua vida, as suas palavras, os seus gestos, a sua entrega de amor e por amor que nos revelam o itinerário a percorrer também por nós. Quem aceita percorrer esse caminho torna-se, de verdade, filho de Deus, encontra a verdade de si mesmo, saboreia a plenitude da vida.

3. «Quem acredita em Mim fará também as obras que Eu faço e fará obras ainda maiores»
Acreditar em Jesus não é apenas admirar o que Ele fez ou disse… Acreditar é deixar-se transformar por dentro pela presença do seu Espírito, continuar hoje a sua obra, ter a capacidade de se dispor a realizar, com os outros, obras ainda maiores… Sozinhos podemos não ter capacidade para fazer muito, mas em Igreja, junto com os irmãos, na casa do Pai, o pouco de cada um torna-se em muito…

sábado, 2 de maio de 2020

Informação sobre a Catequese na Paróquia


Perante o atual estado de pandemia, estando já certo que, até ao Verão, não voltará a haver aulas presenciais para as crianças e adolescentes que frequentam também os grupos de catequese, não voltarão a realizar-se encontros presenciais de catequese na nossa Paróquia. Esta realidade lança a todos novos desafios para a vivência, educação e transmissão da fé, e todos têm um papel importante: as Famílias, a Comunidade, os Catequistas, e os próprios Catequizandos.

A nível nacional, temos o apoio que é dado com os programas semanais que vão sendo transmitidos pelos meios de comunicação. A nível diocesano, estão a ser disponibilizados também alguns materiais para motivar para a vivência da fé nas famílias para ajudar precisamente naquele que é o papel imprescindível dos pais na educação cristã dos seus filhos.

Entretanto, em diálogo com o Secretariado Paroquial da Catequese, ficou também decidido que seriam canceladas todas as celebrações e festas da catequese previstas para este terceiro trimestre. Como tinham sido já canceladas a Festa do Perdão (3º ano), do Pai Nosso (2º ano), Festa da Vida (8º ano) e da Primeira Comunhão (3º ano), ficam também canceladas a Festa da Palavra (4º ano), a Festa da Avé Maria (1º ano), a Festa da Profissão de Fé (6º ano) e a Festa do Compromisso (9º ano) e do Envio (10º ano). Quanto à celebração do Crisma, fica por enquanto agendada para a data prevista, a 27 de setembro.

Apesar de não termos ainda a possibilidade de reagendar estas celebrações, tudo indica que poderemos levantar a possibilidade de as realizar, quanto possível, durante o primeiro trimestre do próximo ano pastoral, nomeadamente a Primeira Comunhão e Profissão de Fé.

Para isso, é importante não apenas que os catequizandos possam continuar a sua caminhada catequética em família durante este ano (através dos apoios atrás referidos), mas também procurar antecipar o início dos encontros no próximo ano pastoral. Assim, caso seja possível, o reinício da catequese será marcado para meados de setembro, dando algum tempo para que se possa consolidar a caminhada prevista para este terceiro trimestre de catequese.

Confiamo-nos a Maria, neste Mês de Maio, pedindo a sua proteção e conforto, entregando nas suas mãos as nossas famílias e o caminho de crescimento na fé das crianças e adolescentes.

sexta-feira, 1 de maio de 2020

Para que tenham vida em abundância

3 de maio de 2020 | 4º Domingo da Páscoa
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

Jesus apresenta-se como o «Pastor» que entra pela porta principal, aquele que conhece as ovelhas, e cuja voz é por elas conhecida, um pastor que encaminha o rebanho para boas pastagens para que tenham vida, e vida em abundância. Mas não só Pastor, Ele é também a «porta» que dá acesso à vida: só percorrendo o caminho que é Ele próprio, se chega à vida definitiva.

Duas parábolas que nos falam da confiança que Jesus nos convida a ter: o Amor de Deus quer dar-nos a possibilidade de encontrar um caminho para o verdadeiro sentido e valor da vida. No encontro com Ele, a sua voz torna-se familiar, e torna-se mais certo o seguimento dos seus passos, passando pela mesma «porta». Seguindo o mesmo caminho que Jesus seguiu, tornando-nos verdadeiros discípulos, abre-se o horizonte da «vida em abundância».

A «vida em abundância» não se pode confundir com o «gozar a vida numa euforia perpétua»... Mesmo estes tempos de isolamentos e privações, não são impeditivos de uma vida bem vivida, uma vida abundante: talvez seja bom deixarmo-nos sempre repensar, e à nossa «qualidade de vida», à luz do Amor de um Pastor que, de facto, quer o nosso bem... e "aproveitar" estes tempos para nos familiarizarmos sempre mais com o Pastor que vale a pena seguir.

Oração do Terço no Mês de Maio de 2020

PROPOSTA PARA AS FAMÍLIAS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES

O mês de maio é um mês que a Igreja dedica de uma forma particular a Maria, Mãe de Jesus e nossa Mãe. Este ano de 2020, vivemos este mês marcados pelo confinamento e isolamento social. Não podendo estar fisicamente juntos para celebrar e rezar em grupo ou nas paróquias, acolhemos o desafio do Papa Francisco que, numa carta dirigida a todos os fiéis para este mês de maio de 2020, convida a valorizar o papel da família também do ponto de vista espiritual, e a “descobrir a beleza de rezar o Terço em casa no mês de maio. Podeis fazê-lo juntos ou individualmente: decidi vós de acordo com as situações, valorizando ambas as possibilidades. Seja como for, há um segredo para bem o fazer: a simplicidade.”

O nosso Bispo, D. António Marto, reforça este convite do Papa, convidando a este "Oração dos Simples". Na carta que escreveu à Diocese para este mês de maio, vai uma referência especial aos pastorinhos de Fátima, “que levaram a sério o pedido de Nossa Senhora”. D. António Marto também quer ver envolvidas nesta oração todas as crianças de Leiria-Fátima, pedindo aos adultos que, para isso, as ensinem “de modo pedagógico, prático, gradual e progressivo, de acordo com a sua idade”. Sugere que “as crianças mais pequeninas podem rezar somente três ave-marias, as maiores dez e os adolescentes todo o rosário, quer dizer, os cinco mistérios.”

Nesse sentido, disponibilizam-se esquemas para cada um dos dias, preparados pelos secretariados da catequese da zona centro, que vão ser progressivamente disponibilizados AQUI.

- Introdução orações para rezar o Terço

- 1 de maio, sexta-feira
- 2 de maio, sábado
- 3 de maio, domingo
- 4 de maio, segunda-feira
- 5 de maio, terça-feira
- 6 de maio, quarta-feira

sexta-feira, 24 de abril de 2020

Tribulação, gratidão, coragem e louvor

A 57ª Semana de Oração pelas Vocações, decorre de 26 de abril a 3 de maio. Marcada pelas contingências da pandemia, traz sobretudo o apelo à oração individual e em família.

O tema desta semana, este ano, centra-se em quatro palavras-chave: tribulação, gratidão, coragem e louvor. Estas palavras são aprofundadas na mensagem do Papa Francisco para o Dia de Oração pelas Vocações, que se inspira no texto bíblico da tempestade acalmada, em Mt 14,22-33.
A Comissão Episcopal Vocações e Ministérios disponibiliza vários materiais que podem ser descarregados AQUI.

O Serviço de Animação Vocacional selecionou um pasta de materiais para esta Semana que disponibiliza AQUI.


ORAÇÃO PELAS VOCAÇÕES

Vem, Senhor Jesus,
verdadeiro Filho de Deus,
bom e belo Pastor,
caminha hoje sobre as águas
que agitam o nosso mundo atribulado.
Abre os nossos ouvidos
e o nosso coração
à Tua voz que acalma, chama e envia.
Dá firmeza ao nosso caminhar,
infunde em nós a Tua coragem,
ensina-nos a reconhecer em cada dificuldade,
em cada momento de dor ou de incerteza,
a Tua presença que dissipa todo o medo.
Sobe para a barca da nossa vida
para seres o dono do leme,
pois seguros navegamos
sempre que estás no meio de nós.
Aceita a nossa gratidão e o nosso louvor,
Senhor Jesus, verdadeiro Filho de Deus,
Bom e belo Pastor. Ámen!

Um caminho de reconhecimento

26 de abril de 2020 | 3º Domingo da Páscoa
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

Dois discípulos a caminho de Emaús, tristes e desanimados: os seus sonhos de triunfo ao lado de Jesus ruíram aos pés de uma cruz. Abandonam a comunidade em Jerusalém e regressam à sua aldeia, dispostos a esquecer o sonho.

Entretanto, surge Jesus. Faz-se seu companheiro de viagem, interroga-os, escuta as suas preocupações, torna-se confidente da frustração. Para responder, e lhes demonstrar o projeto de Deus, “começando por Moisés e passando pelos profetas, explicou-lhes em todas as Escrituras o que lhe dizia respeito”. É na escuta e na partilha da Palavra que o plano salvador de Deus ganha sentido: só através da Palavra de Deus – explicada, meditada e acolhida – o crente pode perceber que o amor até às últimas consequências e o dom da vida não são um fracasso, mas geram vida nova e definitiva. Chegam a Emaús. Mesmo que o coração possa estar “a arder”, continuam a não reconhecer Jesus, mas convidam-n’O a ficar com eles. Ele aceita e sentam-se à mesa. Enquanto comiam, Jesus “tomou o pão, recitou a bênção, partiu-o e entregou-lho”.

Evoca-se a celebração eucarística da Igreja primitiva: é possível encontrar Jesus vivo e ressuscitado sempre que os irmãos se reúnem em nome de Jesus para “partir o pão”. Jesus lá está, vivo e atuante, no meio deles. É essa extraordinária novidade que os leva de novo ao encontro da comunidade dos discípulos, o lugar onde se partilha a mesma certeza de que Jesus está vivo! É o sonho que volta, transfigurado pelo processo de reconhecimento de Jesus na Palavra acolhida, no Pão repartido, na Fé partilhada na comunidade.

sábado, 18 de abril de 2020

Tele-Encontros e Catequese em Casa

A partir de 20 de abril, para crianças e adolescentes


Para colaborar com o trabalho que se tem feito na continuação da missão da catequese nas famílias e nas paróquias, o Secretariado Nacional da Educação Cristã, em comunhão com o Sector da Catequese de Lisboa e a Agência Ecclesia, apresenta, em novas modalidades, a iniciativa «Catequese em nossa casa», dirigida aos adolescentes, bem como uma experiência de tele-encontros de catequese dirigida às crianças e famílias.

Sem pretender substituir o trabalho de contacto pessoal dos catequistas com os catequizandos e suas famílias, essas propostas pretendem ser um contributo ao trabalho de evangelização e transmissão da fé.

CATEQUESE COM ADOLESCENTES
Semanalmente, serão emitidos programas televisivos Ecclesia (Fé dos Homens) com os encontros de catequese da Etapa 5 – Denver 1993, do projeto “Say Yes”.

Serão transmitidos na RTP2, às quarta-feira, com início às 15h10, e a duração de 20 minutos, com início no dia 22. Ficarão depois disponíveis nos canais do youtube da ECCLESIA e EDUCRIS.

CATEQUESE DA INFÂNCIA
Serão disponibilizados vídeos com as catequeses do 3º Bloco de cada um dos catecismos da infância, do 1º ao 6º ano, em diferentes dias da semana, com início a 20 de abril.

2ª feira – 1º catecismo
3ª feira – 2º catecismo
4ª feira – 3º catecismo
5ª feira – 4º catecismo
6ª feira – 5º catecismo
Sábado – 6º catecismo

Serão transmitidas no canal youtube do EDUCRIS, às 18h30, com a duração de aproximadamente 20 minutos.

Canal youtube da Agência Ecclesia.
Canal youtube EDUCRIS
- Mais informações e ligações AQUI.

«Felizes os que acreditam sem terem visto»

19 de abril de 2020 | 2º Domingo da Páscoa
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

O acreditar, a fé, é sempre um confiar-se para além do que se toca e vê... Para lá das provas cientificamente comprováveis, um lançar-se com a razão, o afeto e a vontade, nos braços do Mistério, onde apenas dentro se compreende o sentido, e dá sentido...

Tomé é tão próximo da nossa humanidade atual: quer tocar para acreditar... No entanto, ele teve a ousadia de não se fechar nas dúvidas, mas de se abrir à resposta no lugar onde as poderia encontrar: oito dias depois, na comunidade crente, vai e é capaz então de ver, de «tocar» de uma outra forma, a presença viva de Jesus.

E Jesus faz-se realmente presente, «oito dias depois», quando, no ritmo dominical, a Igreja se volta a reunir para, no testemunho da unidade, no perdão pedido e assumido, na Palavra escutada e atualizada na vida, no Pão consagrado e partilhado, celebrar o Mistério desta mesma Presença constante do amor de Jesus que não cessa de nos dar a paz e de soprar sobre nós o mesmo Espírito de Amor que inflamou os discípulos desde a primeira hora.

sábado, 11 de abril de 2020

Este o dia da grande surpresa de Deus

12 de abril de 2020 | Domingo de Páscoa
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

Páscoa: este o dia da grande surpresa de Deus! A notícia é surpreendente: Jesus não está no sepulcro, aquele que morreu na cruz e foi sepultado, está vivo! A Páscoa de Jesus Cristo é o acontecimento que marca a História de Jesus e, n'Ele, de toda a humanidade: a morte, tocada pelo Amor de Deus, abre-se à esperança da Vida. E a vida, esta de cada dia, vive-se na perspetiva da eternidade que, sendo o permanecer no Amor que é Deus, não faz sentido senão sendo vivida segundo o mandamento do amor.

Para isso somos batizados. Pelo Batismo, também nós somos submergidos nesta vida divina que vence o pecado e a morte, e renascemos para uma vida nova, a vida dos filhos de Deus: no Batismo Deus faz-nos parte da sua família! Dom da graça e misericórdia divina, a Vida acolhida é constantemente alimentada na Eucaristia. Batismo e Eucaristia estão intimamente unidos, brotam do mesmo coração aberto de Jesus, rasgado pela lança do soldado, de onde sai sangue e água.

Vivendo como filhos de Deus, ao jeito de Jesus, a eternidade-ressurreição é já um presente (por ser dom de Deus, mas também por ser de agora, atual), mesmo que marcado pelo «ainda não» das contingências desta vida terrena. No Batismo começamos esta aventura de, à imagem do Filho, viver para amar e de amar para viver.

Neste tempo, marcado pelo isolamento, procurando cada um fazer a sua parte no combate à pandemia que ameaça a vida, não podemos deixar-nos vencer pelo medo: Cristo, que venceu a morte, é também sinal de esperança para a realidade de hoje. Acolhendo a sua Vida, saibamos encontrar, também nós, o caminho do amor maior, fazendo a parte que nos compete, para que todos, o mais rapidamente possível, possam ver que, também agora a “pedra” é retirada do “sepulcro”, e mesmo que tudo pareça falar de “morte”, é a Vida que vence. Também hoje a esperança da ressurreição nos anima e fortalece, também hoje Jesus vivo, ressuscitado, vem ao nosso encontro.

quinta-feira, 9 de abril de 2020

De Quinta-Feira Santa a Domingo de Páscoa: celebração em Família

Em virtude da suspensão das celebrações litúrgicas comunitárias até ser superada a atual situação de emergência decorrente da pandemia de Covid-19, as famílias são convidadas a celebrar estes dias em suas casas.

Primeiramente, sugere-se que as famílias participem nas celebrações litúrgicas através dos meios de comunicação social ou das redes sociais. E que, tomando sempre as necessárias precauções, se auxiliem os idosos e doentes para que possam também eles participar do mesmo modo nas celebrações litúrgicas.

Para acompanhar as celebrações presididas pelo nosso Bispo:
- Missa vespertina da Ceia do Senhor (Quinta-feira, 9/abr, 18h00) AQUI
- Celebração da Paixão do Senhor (Sexta-feira, 10/abr, 15h00) AQUI
- Vigília Pascal (Sábado, 11/abr, 22h00) AQUI
- Missa do Domingo de Páscoa (Domingo, 12/abr, 10h30) AQUI

Celebração em Família:
Para a vivência do Tríduo Pascal, foram também preparadas algumas celebrações para serem vividas em família, que se disponibilizam:
- Quinta-feira Santa
- Sexta-feira Santa
- Sábado Santo - celebração da reconciliação
- Sábado Santo - vigília
- Domingo de Páscoa
Todas as propostas em formato Word e PDF: AQUI

Escreve o nosso Bispo:
Este ano somos convidados a reviver esta experiência de encontro com o Senhor nas nossas casas. Convido, pois, cada família a celebrar a Semana Santa no seu lar, envolvendo todos o mais possível: as crianças, os adolescentes, os jovens e os adultos. (…) Vamos fazê-lo em comunhão com a Igreja diocesana e com as respetivas comunidades paroquiais e de vida consagrada. E rezando também por quantos estão em sofrimento por serem vítimas da pandemia ou preocupados no esgotante trabalho para a combater e cuidar dos doentes. Se o fizermos assim, seguramente o Senhor ressuscitado vai manifestar-se e fazer-nos passar da tristeza e da angústia à alegria e ao ardor de coração pela sua presença viva em cada coração, na família, nas comunidades cristãs e nesta humanidade amedrontada e atribulada em busca de cura e de melhor saúde para todos. Cada comunidade familiar procure criativamente as formas mais adequadas à sua situação para celebrar a Páscoa.


sábado, 4 de abril de 2020

Celebrar o Domingo de Ramos em Família

Desafios para uma Semana muito especial
DE DOMINGO DE RAMOS A DOMINGO DE PÁSCOA

Para este Domingo de Ramos, está já preparada uma breve celebração para viver em família, enquadrando também o colocar da cruz com os ramos à porta de casa. Esta proposta está no boletim paroquial desta semana.

Esta e outras propostas para as famílias, preparadas pelo Departamento de Liturgia, estão disponíveis AQUI.

«Este era verdadeiramente Filho de Deus»

5 de abril de 2020 | Domingo de Ramos na Paixão do Senhor
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

A morte de Jesus tem de ser entendida no contexto daquilo que foi a sua vida.

Desde cedo, Jesus apercebeu-Se de que o Pai O chamava a uma missão: anunciar, e tornar já presente, um mundo novo para todos os homens: o Reino de Deus. Para concretizar este projeto, Jesus passou pelos caminhos da Palestina “fazendo o bem” e anunciando a proximidade desse mundo de vida, de liberdade, de paz e de amor para todos. Ensinou que Deus era amor e que não excluía ninguém, nem mesmo os pecadores; ensinou que os leprosos, os paralíticos, os cegos, não deviam ser marginalizados; ensinou que eram os pobres e os excluídos os preferidos de Deus; avisou os “ricos” de que o egoísmo, o orgulho, a auto-suficiência só podiam conduzir à morte.

O projeto libertador de Jesus entrou em choque com a atmosfera de egoísmo e de opressão que dominava o mundo. As autoridades políticas e religiosas sentiram-se incomodadas com a denúncia de Jesus. Por isso, O prenderam, julgaram e condenaram. A morte de Jesus é a consequência lógica do anúncio do “Reino”.

Mas na cruz, vemos aparecer o Homem Novo, o protótipo do homem que ama radicalmente e que faz da sua vida um dom para todos. Porque ama, este Homem Novo vai assumir como missão a luta contra o pecado. E assim, a cruz mantém o dinamismo de um mundo novo – o dinamismo do “Reino”, o dinamismo do Amor.

quinta-feira, 2 de abril de 2020

Domingo de Ramos: enfeitar um crucifixo com verdura e colocá-lo à porta de casa

Ao aproximar-se a Semana Santa, neste contexto tão diferente, o nosso Bispo escreveu uma nota pastoral para nos ajudar a todos na "Celebração da Páscoa na família e nas paróquias em tempo de pandemia", deixando alguns desafios muitos concretos que podem marcar esta Semana tão especial que está para começar.

São muitas as proposta de celebração, os sinais e gestos que nos propõe a todos, mas muito especialmente às famílias. Para já, ficam apenas duas notas importantes para o Domingo de Ramos:

1- Participar na celebração transmitidas pela televisão, rádio ou redes sociais; o nosso Bispo celebra às 11h, e transmite pela página do Santuário e no canal da Canção Nova;

2- Preparar um ramo e enfeitar o crucifixo com verduras, envolvendo a família, e sobretudo os mais novos, nesta tarefa, e colocá-lo à porta de casa.

A nota pastoral pode ser lida AQUI.

sábado, 28 de março de 2020

A fé é lugar de ressurreição

29 de março de 2020 | 5º Domingo da Quaresma
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

O texto do Evangelho deste domingo - a ressurreição de Lázaro - é uma catequese sobre o acreditar, sobre a fé em Cristo, que é a Ressurreição e a Vida: “Quem acredita em Mim, ainda que tenha morrido, viverá... Acreditas?”

A ação de dar vida a Lázaro representa a concretização da missão que o Pai confiou a Jesus: dar vida plena e definitiva ao homem. É por isso que Jesus, antes de mandar Lázaro sair do sepulcro, ergue os olhos ao céu e dá graças ao Pai: a sua oração demonstra a sua comunhão com o Pai e a sua obediência ao Pai. Depois, Jesus mostra Lázaro vivo, provando à comunidade dos crentes que a morte física não interrompe o amor, não interrompe a vida plena do discípulo que ama Jesus e O segue.

A família de Betânia representa a comunidade cristã, formada por irmãos e irmãs. Todos eles conhecem Jesus, são seus amigos, acolhem-no na sua casa/vida. Essa família também faz a experiência da morte física. Como lidar com ela? Com o desespero de quem acha que tudo acabou? Com a tristeza de quem acha que a morte venceu, até que Deus ressuscite o “irmão” morto, no final dos tempos? Não. Ser amigo de Jesus é saber que Ele é a ressurreição e a vida e que dá aos seus a vida plena, em todos os momentos. Ele não evita a morte física; mas ela é, para os que aderiram a Jesus, a passagem para a vida verdadeira e definitiva. Para os “amigos” de Jesus – aqueles que acolhem a sua proposta e se entregam a Deus e aos irmãos – não há morte… Podemos chorar a partida de um irmão, mas sabendo que, ao deixar este mundo, ele encontrou a vida plena, na glória de Deus.

sexta-feira, 27 de março de 2020

Peregrinar sem sair de casa

No domingo 29 de março, a diocese de Leiria-Fátima estaria em peregrinação ao Santuário de Fátima. Mas a situação atual não nos permite fazer o programa normal…

Mas mesmo sem sair de casa, podemos usar a criatividade e viver este dia como peregrinos, caminhando pela nossa casa, em família!

O Serviço Diocesano de Catequese preparou uma pequena proposta, a partir do que estava previsto acontecer em Fátima. A sugestão é escolher 5 locais em casa, e preparar um percurso com 5 pequenas paragens. Pelo meio, pode rezar-se o terço. Depois (ou antes), às 10h30, o nosso Bispo preside à Missa na casa episcopal, e a celebração é transmitida: assim, todos podemos estar juntos, como se estivéssemos no Santuário de Fátima, mesmo que cada um em sua casa.

Os materiais podem ser descarregados AQUI.

A transmissão da Missa pode ser acompanhada AQUI ou AQUI.

À mesma hora, 10h30, pároco celebra na igreja paroquial. Convida-se a comunidade a rezar o terço antes, pelas 10h, por isso o sino vai tocar por essa hora. Não esquecer que a hora muda neste domingo: à 1:00 hora da manhã adiantamos o relógio de 60 minutos, passando para as 2:00 horas da manhã.

sexta-feira, 20 de março de 2020

Renascer no encontro com a luz

22 de março de 2020 | 4º Domingo da Quaresma
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

Jesus e os discípulos encontram um homem cego, mas olham-no diversamente: os discípulos veem nele um pecador; Jesus vê na doença daquele homem ocasião para se manifestar a ação de Deus.

O texto apresenta-se como que uma iniciação em que o homem que era cego recupera a vista e alcança a sua identidade: um reconhecimento que é também um renascimento para uma vida renovada pelo encontro com Jesus, expressa na confissão de fé: “Eu creio Senhor”. O gesto terapêutico de Jesus sobre o cego, quando “fez lama com a saliva...”, recorda o gesto com que Deus criou Adão. A re-criação que conduz aquele que era apenas objeto de juízos dos outros a ser sujeito, a assumir a vida, a tomar a palavra e a reivindicar uma identidade: “Sou eu”, pode afirmar.

Diante do cego curado a primeira reação é a dos conhecidos que fazem perguntas, interrogam mas não se interrogam, não se põem a si próprios em questão e assim permanecem à superfície. Depois os pais que, por medo, não vão além de uma banal constatação do facto. Por fim, o saber teológico dos fariseus, autosuficiente e impermeável, obtuso, que os leva a acusar Jesus e o cego de serem pecadores...

Quem é cego e quem vê? Esta é a pergunta que o texto suscita. E esta a resposta: vê quem sabe ver a sua cegueira e abrir-se à ação de cura e de luz que Jesus Cristo oferece.

As "24 horas para o Senhor" em oração familiar ou pessoal

O Papa recordou, na Audiência Geral da última quarta-feira, a iniciativa das "24 horas para o Senhor", nos dias 20 e 21 de março – “um evento importante da Quaresma para a oração e para se aproximar do sacramento da reconciliação”, acrescentando que, devido à Pandemia, em muitos países esta iniciativa não se realizará nas formas habituais. Por isso, Francisco pede aos fiéis "que mantenham o caráter penitencial das 24 Horas para o Senhor, por exemplo, meditando e rezando diante do Crucifixo".

Neste contexto, a Diocese de Leiria-Fátima, enviou um comunicado às paróquias cancelando todas as iniciativas das "24 horas para o Senhor", convidando as pessoas a ficar em casa e a fazerem oração no seu ambiente doméstico. AQUI encontra uma proposta para as famílias com crianças e adolescentes, e AQUI para os jovens, que também poderão ser utilizadas por todos os que desejarem viver estas "24 horas para o Senhor" em casa.

Tríduo Pascal e Visita Pascal
O comunicado acrescenta que nos próximos domingos, o Senhor Bispo celebra a missa na capela da casa episcopal, às 10h30, sendo transmitida por internet no facebook da Diocese. Quanto ao tríduo pascal, celebrações e visita pascal, diz o comunicado, ainda não sabemos o que se pode fazer. O mais provável é que não se possam realizar com a comunidade cristã.

quarta-feira, 18 de março de 2020

19 de março, Dia do Pai - Dia de São José

Celebra-se a 19 de março a solenidade de São José, dia que é consagrado também a todos os pais. Este ano, este dia vai ser celebrado em circunstâncias inéditas, neste contexto de pandemia... Mas não deixemos de o celebrar: se não for possível presencialmente, fazê-lo por telefone ou interne. Em casa, marcar com uma refeição preparada com carinho, usar a melhor sala jantar e o melhor serviço... quem sabe preparar algum jogo para estar em família... Dar asas à criatividade, e aproveitar o eventual tempo livre para preparar tudo!

A imagem de São José a dormir, que acompanha este texto, é a que o Papa Francisco tem no seu quarto, sobre a qual ele diz: «Quando eu tenho um problema ou uma dificuldade, escrevo-o num papelinho e coloco-o debaixo de São José, para que ele sonhe sobre isso”...

Este pode ser também o dia para fazer assim uma oração em família. Os catequistas estão já a divulgar uma proposta para as famílias das crianças e adolescentes da catequese, para esta terceira semana da Quaresma, que pode se pode encontrar AQUI.

Fica também a ligação para a Mensagem da Comissão Episcopal do Laicado e Família para o Dia do Pai deste ano que, nesta circunstância reforça que «vão ser precisos “superpais e supermães” para reinventar a convivência familiar, pois a atividade social terá de estar reduzida ao mínimo, como a prudência recomenda», não esquecendo várias oportunidades que pode também trazer: para diálogo familiar sobre a beleza e sentido da vida; para “recomeçar” em pontos essenciais da vida pessoal, de casal e de família, melhorando a qualidade; para acompanhar, nem que seja à distância, quem está mergulhado no drama da doença, ou da solidão.

segunda-feira, 16 de março de 2020

Cuidar dos vizinhos: uma rede de solidariedade

Os próximos tempos podem ser difíceis para todos, mas serão ainda mais difíceis para aqueles que possam estar mais sós e precisem de mais cuidados. Por isso, enquanto comunidade, somos todos convidados a ter uma atenção particular aos que mais precisam, ou que estão nos grupos de maior risco.

Lança-se, por isso, um desafio:
Quem são os meus vizinhos?
Poderão eles precisar de alguma coisa em que eu possa ajudar?
Posso ir por eles às compras? Levar-lhes o pão ou as mercearias?
Ir à Farmácia buscar os medicamentos de que precisam?
Posso telefonar-lhe todos os dias para saber se estão bem ou se precisam de alguma coisa?
Ou talvez deixar-lhe o meu número de telefone para o caso de terem alguma urgência, sendo eu quem está mais perto...?

Novos tempos, novos desafios para viver em comunidade e comunhão, mesmo em isolamento social... mas sem isolamento espiritual.

Ao encontro da Palavra

A igreja paroquial da Calvaria continuará aberta como espaço de oração e encontro com Jesus Cristo, apesar de cancelarmos as celebrações comunitárias na Paróquia. Junto ao ambão, a mesa da Palavra, vai estar o livro aberto com as leituras bíblicas de cada dia.

Vão estar também os livros do retiro popular e outros subsídios para ajudar na oração pessoal.

Nesta segunda-feira da III semana da Quaresma, deparamo-nos, no texto do Evangelho, com a dificuldade que os mais próximos de Jesus tiveram para acolher a Palavra: «Nenhum profeta é bem recebido na sua terra».

Que o nosso "já conhecimento" de Jesus não nos tape os ouvidos e o coração para a redescoberta e conversão constante ao Evangelho que quer fazer chegar a todos os cantos da humanidade e a todos os recantos do nosso ser...

Pode acompanhar AQUI as leituras de cada dia.

domingo, 15 de março de 2020

Isolamento social, não espiritual...

Na atual situação, e partindo da nossa identidade cristã, somos convidados a manter-nos, o máximo possível, em isolamento social, porque esta é também uma forma de manifestar a Caridade ou Amor com os irmãos, não nos tornando possíveis transmissores do novo coronavírus.

Este isolamento social não pode, no entanto, significar indiferença nem falta de cuidado, com todos os cuidados, daqueles que possam necessitar mais de apoio, dos mais frágeis e vulneráveis.

Aqui se vive também a espiritualidade cristã, profundamente voltada para a necessidade de "incarnar". Por isso, também, a importância de viver este tempo de "deserto" (em tempo de Quaresma), com um profundo sentido de encontro espiritual com Aquele que não fugiu mas assumiu as nossas fragilidades, sofrimentos e dores humanas: o próprio Deus incarnado em Jesus Cristo.

Quando tantas vezes "falta" tempo para estar com Ele, estes dias podem, eventualmente, trazer-nos a possibilidade de dar mais tempo a esse relação essencial... À hora de maior dificuldade, de maior calor, uma mulher samaritana desloca-se ao poço para tirar água, e aí encontra Jesus que lhe dá a possibilidade de encarar todas as coisas com um olhar renovado... É este o texto do Evangelho deste domingo, III da Quaresma. Nestas nossas horas de hoje, ousemos também voltar a essa Fonte de Água Viva, dando um pouco do nosso dia ao encontro: em isolamento social, mas não espiritual...

Hoje, de igreja vazia, ao celebrar pelo povo desta paróquia, entreguei nas suas mãos cada um, cada família, com todos os seus receios e preocupações, e pedi que não nos deixe cair no isolamento espiritual... Neste dia em que não foi possível, para muitos, viver o encontro com Cristo ressuscitado, na Eucaristia, deixo a ligação para uma proposta preparada pelo Secretariado Nacional de Liturgia de Itália para celebrar e rezar em tempo de epidemia.

sábado, 14 de março de 2020

A fonte da água de vida eterna

15 de março de 2020 | 3º Domingo da Quaresma
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

Muitas lendas falam de uma fonte que rejuvenesce, deixa as pessoas eternamente jovens... Não é propriamente disso que Jesus fala quando afirma, à mulher samaritana, que «quem beber da água que Eu lhe der nunca mais terá sede: a água que Eu lhe der tornar-se-á nele uma nascente que jorra para a vida eterna».

Esta «água» é o próprio Espírito, aquele que é capaz de transformar radicalmente o ser de quem se abre à novidade de Jesus, esse Espírito que é o Amor de Deus que impele ao Amor aos outros, esse Espírito capaz de fazer de todos uma única família. Aquela mulher procurava matar uma sede, mas, no encontro com Jesus, percebeu que a sua sede mais profunda, só em Jesus encontra a fonte (na imagem, o artista faz-nos perceber como Jesus se confunde com o próprio poço, Ele é o poço...): por isso deixa o seu cântaro e corre para anunciar aos outros aquilo que eles próprios confirmam: «Nós próprios ouvimos e sabemos que Ele é realmente o Salvador do mundo». Mais que uma água que nos deixa jovens de corpo, Jesus dá-nos uma água que nos faz construtores de um mundo rejuvenescido constantemente pelo Espírito, e nos abre à esperança da eterna juventude do Amor em Deus.

Também neste momento de tantas inquietações, dúvidas e medos, Ele continua a ser fonte de esperança.

Para a celebração da Eucaristia, para além da transmissão nas televisões, pode acompanhar em directo, às 10h30 deste domingo, a Missa presidida pelo nosso Bispo, D. António Marto, na página de Facebook da Diocese de Leiria-Fátima.

sexta-feira, 13 de março de 2020

Comunicado à Paróquia a propósito do novo Coronavírus | COVID-19

Como cristãos, perante a emergência sanitária do Coronavírus, “somos chamados a comportarmo-nos também como cidadãos conscientes e colaboradores, assumindo as próprias responsabilidades em sintonia com as disposições das autoridades responsáveis pela saúde pública”, como salienta o nosso Bispo na Nota Pastoral sobre celebrações e outras atividades eclesiais na atual emergência de saúde pública. Esta responsabilidade, no espírito da caridade cristã, deve levar-nos a tudo fazer não só no cuidado por nós próprios, mas também, e de modo particular, a cuidar dos mais frágeis e vulneráveis e de os proteger.
Assim, tendo em conta o comunicado do Bispo diocesano e o Comunicado da Conferência Episcopal Portuguesa, e seguindo as indicações que vão sendo emanadas pelas autoridades de saúde, expomos o que se segue:

1- CELEBRAÇÃO DA EUCARISTIA
São suprimidas as celebrações da eucaristia comunitárias na paróquia a partir deste sábado, 14 de março. Irá manter-se apenas a “celebração privada” da missa. Aos domingos, essa celebração será no horário habitual, pelo povo, podendo todos permanecer unidos espiritualmente, mesmo não estando presencialmente.
Mesmo que não tenha o mesmo valor e em circunstâncias normais não substitua a participação na eucaristia, são todos convidados a acompanhar as celebrações transmitidas pelos meios de comunicação social. Esse será, nos próximos tempos, o modo se unirem ao Senhor e ser fiéis a Ele.

2- OUTRAS CELEBRAÇÕES E SACRAMENTOS
As demais celebrações sacramentais, nomeadamente os batismos, quando não é possível adiamento, poderão fazer-se, mas com as devidas precauções e só para os familiares próximos.

3- SACRAMENTO DA RECONCILIAÇÃO (confissão)
O Sacramento da Reconciliação (confissão) será administrado a quem o desejar apenas no cartório paroquial, local onde é possível manter as distâncias aconselhadas e o sigilo que é necessário.
Recomenda-se, sempre que espiritualmente for possível, que cada pessoa faça o seu exame de consciência e se arrependa diante de Deus, e que recorra a este sacramento assim que a situação normalizar.

4- CELEBRAÇÃO DAS EXÉQUIAS
Quanto aos funerais, temos a recomendação de optar por fazer uma breve celebração exequial no cemitério em vez de ir à igreja. Deve ser sempre cuidada a contenção na participação das pessoas que devem seguir as orientações das autoridades de saúde e adequar os comportamentos com vista a uma maior moderação nas expressões de proximidade.

5- CATEQUESE E OUTRAS REUNIÕES E ATIVIDADES
A catequese de crianças e adolescentes, e todas as atividades a ela associadas, será suspensa desde já, e até indicações em contrário.
Assim, é adiada desde já a Festa do Perdão do 3º ano, a Festa do Pai Nosso, do 2º ano. Em relação às festas da catequese previstas para os meses de abril e maio, oportunamente serão dadas indicações, tendo em conta a evolução da situação.
São suspensas todas as outras reuniões previstas, tal como a formação para os acólitos, incluindo também os encontros do retiro popular, ficando o convite para a sua realização em família ou individualmente.

6- “24 HORAS PARA O SENHOR”
Até eventuais indicações em contrário, a iniciativa “24 horas para o Senhor” será realizada, mas em moldes distintos.
O Santíssimo será exposto apenas na sexta-feira, dia 20, às 20h, na igreja paroquial, mantendo-se em exposição até às 22h, sendo dada a bênção eucarística nesse horário. Durante esse tempo, haverá a possibilidade da celebração do sacramento da reconciliação nos moldes anteriormente referidos.
Não haverá momentos de oração organizados, limitando-se à oração individual diante do Santíssimo.

7- VISITAS AOS DOENTES
As visitas aos doentes decorrerão cumprindo as normas indicadas pelo Bispo diocesano, mas apenas àqueles que expressamente, por si ou pelos seus familiares, pedirem esta visita, contactando diretamente o Pároco para acertar o dia e hora da mesma.

8 - ATENDIMENTO DE CARTÓRIO
O atendimento no Cartório Paroquial será feito privilegiando-se o contacto telefónico ou por e-mail.

9 - VIA SACRA PAROQUIAL
Apesar de estar prevista para o final deste tempo de alerta, na Sexta-feira Santa, dia 10 de abril, caso se venha a realizar, a mesma não se fará a partir dos Casais de Matos, como inicialmente previsto, nem com a estações representadas. Mais proximamente serão dadas mais indicações.

10 - BOLETIM PAROQUIAL
Será feito como habitualmente, ficando ao fundo da igreja para quem o desejar levar para casa, sendo também disponibilizado na página da paróquia e distribuído por correio eletrónico.


Todas estas orientações podem ser alteradas a qualquer momento, por indicação das autoridades de saúde ou diocesanas, ou por nova avaliação da situação local.

“Assumamos esta inquietante situação com sentido penitencial, fazendo todo o possível para viver a caridade de preservar e promover a saúde pública, um bem comum inestimável”, como afirma o nosso Bispo, que convida a “oferecer os sacrifícios que estamos a viver nesta situação difícil, como parte do caminho penitencial da Quaresma para que possamos preparar-nos também assim para a Páscoa da Ressurreição e da vida nova.” Na sua Nota Pastoral, apela ainda à nossa oração “por todos os infetados e seus familiares, pelos médicos, enfermeiros e agentes sanitários, pelos sacerdotes disponíveis a acompanhar e dar assistência espiritual ao povo de Deus e pelas autoridades que têm a responsabilidade de tomar as medidas necessárias que nem sempre agradam a todos”, deixando-nos uma oração proposta pelo arcebispo italiano Bruno Forte:

Senhor Jesus, Salvador do mundo,
esperança que nunca nos desilude,
tem piedade de nós e livra-nos de todo o mal!
Pedimos-Te para vencer o flagelo deste vírus que se está difundindo,
curar os doentes,
preservar os sãos,
apoiar quem trabalha pela saúde de todos.
Mostra-nos o Teu Rosto de misericórdia
e salva-nos pelo Teu grande amor.
Nós to pedimos por intercessão de Maria,
Tua e nossa Mãe, que com fidelidade nos acompanha.
Tu que vives e reinas pelos séculos dos séculos.
Ámen.

sexta-feira, 6 de março de 2020

Deixar-se transfigurar em Cristo transfigurado

8 de março de 2020 | 2º Domingo da Quaresma
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

Numa cena carregada de simbolismo retirado do Antigo Testamento, Jesus é-nos apresentado como o Filho de Deus na sua glória, transfigurando-se diante dos discípulos. A sua vida, vivida pela lógica do amor, não se destina ao fracasso, mesmo que passe pela cruz: no dom de si mesmo, concretiza-se o projeto salvador do Pai, fonte dessa vida plena na ressurreição.

No caminho quaresmal de penitência e conversão, assegura-nos que vale a pena arriscar descer do monte e trilhar, também nós, um caminho de doação, pegando na cruz e caminhando para a Páscoa da ressurreição: deixar-se transfigurar em Cristo transfigurado.

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

Olhar as nossas opções à luz das de Jesus

1 de março de 2020 | 1º Domingo da Quaresma
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

Depois do batismo, e antes de iniciar o anúncio do Evangelho, contam os evangelhos que Jesus passa quarenta dias no deserto e é tentado. Este é um texto programático que nos fala das opções de Jesus: não escolhe um caminho de realização material, não opta pelo êxito fácil, não quer o poder… Jesus é o Messias que vem numa atitude diferente: de entrega, de serviço, de obediência à vontade do Pai.

A tentação é sempre sedutora: e como seria tão mais «certo» e «fácil» se Deus se impusesse, poderíamos até pensar. Quantas vezes não queremos um Deus que resolva as nossas questões materiais, que demonstre todo o seu poder em magníficos milagres, que mude as formas de viver e de pensar das (outras) pessoas e acabe com todas as injustiças do mundo…?!

Mas o Deus de Amor, assumido e revelado em Jesus Cristo, não segue estas lógicas. E faz-nos também pensar naquilo que são as seduções/tentações que nos cercam e que, tantas vezes, parecem o melhor caminho… Faz-nos pensar que também nós somos convidados ao serviço, à entrega, a fazer-nos pequenos, indo ao encontro do outro como um dom, escutando o dom da palavra de Deus.

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

Quarta-feira de Cinzas, início da Quaresma

No próxima quarta-feira, dia 26 de fevereiro, começa o tempo da Quaresma, 40 dias que nos preparam para a grande solenidade da Páscoa.

Faz-se um convite particular a todas as crianças e adolescentes da catequese, e suas famílias, para participar na celebração da Missa, na igreja paroquial, pelas 19h30, na qual teremos o rito da imposição das cinzas, e o início da campanha quaresmal deste ano, «Quem és Tu, Senhor?», uma oportunidade para viver este tempo na descoberta mais profunda de Jesus.

Ao longo deste “tempo oportuno” somos convidados a viver em maior união com a Paixão do Senhor e em espírito de penitência, o que visivelmente se pode exprimir, às sextas-feiras, pela escolha de uma alimentação simples e pobre, que poderá concretizar-se na abstenção de carne. Recorda-se também que a Quarta-feira de Cinzas é dia de jejum e abstinência.

O resultado da renúncia quaresmal deste ano, anunciado na mensagem do nosso Bispo, D. António Marto, será canalizada, através para a diocese de Tete, em Moçambique.

Para este tempo da Quaresma, o nosso Bispo, D. António Marto, escreveu uma mensagem que nos convida a ir à fonte da renovação que é Cristo.

Um caminho de amor

23 de fevereiro de 2020 | 7º Domingo do Tempo Comum
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

O ponto de partida de Jesus é sempre o Amor de Deus. É com essa referência que termina o texto do Evangelho que escutamos neste Domingo: «sede perfeitos, como o vosso pai celeste é perfeito». Continuamos no monte das bem-aventuranças a escutar Jesus que fala aos seus discípulos, dando-lhe os mandamentos que vão completar a Lei recebida no alto de um outro monte, por Moisés. E o que Jesus diz parece ser de uma exigência a toda a prova: oferecer a outra face, amar os inimigos, rezar pelos que nos perseguem... Será possível?

Jesus propõe este caminho porque sabe que é possível: é esse o amor que Deus vive, é essa a vida que Ele próprio assume. Não se trata de uma utopia, mas de uma realidade que pode incarnar na vida daqueles que se deixam amar por Deus e iluminar pela sua divina lógica. Caminho de «perfeição» que revoluciona aqueles que a assumem como projeto de vida, que desafia a ousar mais, a não se deixar envolver pelas lógicas mundanas, a olhar mais alto, a encontrar o paradigma no Deus que nos criou à sua imagem e semelhança.

O ponto de partida é sempre o Amor de Deus. E o ponto de chagada também. Viver a vida entre estes dois pontos só faz sentido também no Amor. Mesmo que nem sempre se consiga, deixar-se envolver pelo Amor de Deus para o desejar sempre mais...

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

7º ano Celebra as Bem-Aventuranças

Os grupos do 7º ano da catequese da paróquia da Calvaria celebraram a Festa das Bem-Aventuranças a 15 e 16 de fevereiro.


Grupo de S. Jorge
Quando, no Evangelho, escutamos o "Sermão da Montanha" que começa precisamente com as Bem-Aventuranças, os grupos apresentaram nas comunidades, recorrendo também à linguagem simbólica, o projeto de uma vida feliz de Jesus. Quando o mundo nos apresenta, tantas vezes, outros projetos, é importante não perder o sentido de uma vida que sabe viver com valor e com valores: é essa descoberta que o 7º ano irá fazer ao longo deste ano, quer no percurso com o catecismo "Projeto +", na Calvaria, quer com o "Say Yes", em São Jorge.

GrupO da Calvaria
Na oração que partilharam com a comunidade, os grupos do 7º ano expressaram a convicção de que "muitos dos problemas das pessoas nascem do facto de estarem perdidas, sem orientação e sentido para a vida..." Por isso, manifestaram a vontade de "projetar a vida", acolhendo de Jesus "as verdades sobre as quais devemos viver para ajudar a construir um mundo em que todos tenham dignidade e justiça, amor e serenidade... em que todos sejam bem-aventurados!", confiando-se a Jesus para poderem fazer este caminho.

sábado, 15 de fevereiro de 2020

Santuário de Fátima vai assinalar centenário da morte de Santa Jacinta

O Santuário de Fátima está a preparar um programa celebrativo, que vai assinalar a a efeméride do centenário da morte de Santa Jacinta Marto.

As celebrações começam a 16 de fevereiro com o VI Concerto Evocativo dos Três Pastorinhos de Fátima na Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima. No dia 19 de fevereiro, pelas 21h30, terá lugar uma vigília de oração, com rosário, procissão e veneração dos túmulos, na Capelinha das Aparições e Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima.

A 20 de fevereiro, Festa Litúrgica dos Santos Francisco e Jacinta Marto, haverá pelas 10h00 rosário na Capelinha das Aparições, seguindo-se uma procissão com os ícones dos Santos Francisco e Jacinta até à Basílica da Santíssima Trindade, onde tem lugar a eucaristia pelas 11h00. Entre as 14h00 e as 16h00 estão previstas várias atividades com crianças. Pelas 17h30 haverá oração de vésperas na Basílica de Nossa Senhora do Rosário.

Notícia completa na página do Santuário de Fátima.

Uma lei que se vive "por dentro"

6º Domingo do Tempo Comum | 19 de fevereiro de 2020
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

Depois das bem-aventuranças e de afirmar que os discípulos são sal e luz, Jesus concretiza a forma de viver de quem acolhe a Palavra e se torna construtor do «Reino». No Evangelho deste domingo, temos quatro indicações concretas: na relação com as outras pessoas, não apenas «não matar», mas construir uma relação no perdão, na não-violência, na compreensão; não apenas «não cometer adultério», mas educar o coração e a ação, a partir do seu mais íntimo, para o respeito pelo outro e pelas opções assumidas; não cultivar aquilo que possa separar os esposos na sua relação, mas procurar trazer para a vida a imagem e semelhança de Deus, tal como a pessoa foi criada; não levantar qualquer suspeita, de tal forma que a palavra dada seja honrada em todo o momento.

Na proposta de Jesus não se trata de ter uma lista do que se pode ou não fazer, do que é ou não é pecado, mas assumir uma atitude interior de relação com Deus que passe para a vida concreta: uma lei que se vive por dentro, e por isso se torna também exterior.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

Ser sal da terra e luz do mundo

5º Domingo do Tempo Comum | 9 de fevereiro de 2020
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim


Depois das bem-aventuranças, Jesus continua o "discurso da montanha" afirmando que os discípulos são sal e luz. O sal, que dá sabor à comida e conserva os alimentos, é sinal desse «sabor» novo que os cristãos, pela vivência das bem-aventuranças, são chamados a trazer ao mundo, essa «pequena pitada» que é capaz de trazer um sabor novo à vida; o sal que conserva no meio de tantos sinais menos bons, a presença do «reino» que Jesus veio inaugurar...

A luz que, como a cidade no alto do monte ou a candeia sobre o candelabro, não é para se esconder: não que o cristão deva procurar exibir-se, mas que seja capaz de provocar com gestos proféticos, de assumir as responsabilidades na renovação constante do mundo, de deixar que, através da sua ação, a Luz de Deus continue a brilhar no tempo presente.

sábado, 1 de fevereiro de 2020

Luz para se revelar às nações

2 de fevereiro de 2020 | Festa da Apresentação do Senhor
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

No dia 2 de fevereiro, quarenta dias depois do Natal, ocorre a Festa da Apresentação do Senhor. Celebra-se o dia em que os pais de Jesus, cumprindo o que estava prescrito, O levaram ao Templo, para ser oferecido a Deus. O Evangelho de São Lucas (Cf. Lc 2, 22-44), conta-nos que Simeão, ao acolher Jesus, O reconhece como Luz das nações:

«Agora, Senhor,
segundo a vossa palavra,
deixareis ir em paz o vosso servo,
porque os meus olhos
viram a vossa salvação,
que pusestes ao alcance
de todos os povos:
luz para se revelar às nações
e glória de Israel, vosso povo».

É para celebrar esta Luz das nações, o próprio Jesus, apresentado no Templo por Maria, que a celebração nesse dia começa com a bênção das velas e a procissão para a igreja. Na Eucaristia acolhemos Jesus que se oferece definitivamente por nós, na sua morte e ressurreição.

A tradição, unindo a presença da Luz a Maria, a Mãe que apresenta Jesus no templo, refere este dia como a festa de "Nossa Senhora das Candeias". Este é também o Dia do Consagrado, de todos os que fazem a oferta de si mesmos a Deus, de modo particular as Religiosas e os Religiosos dos diversos institutos e congregações de vida consagrada.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

Novo Conselho Económico toma posse

O Conselho para os Assuntos Económicos da Paróquia da Calvaria tomou posse, para o triénio de 2020 a 2022, a 26 de janeiro, na celebração dominical, às 11h, na igreja paroquial da Calvaria. O Conselho é constituído por cinco elementos que, juntamente com o Pároco, têm a responsabilidade velar e cuidar dos bens e património da Paróquia, e coordenar toda a sua administração económica.

Os elementos que tomaram posse são o Alfredo Cardoso, o Carlos Lavrador, a Elisabete Rodrigues, o Jorge Carreira e a Maria do Rosário Sapateiro. Na tomada de posse foi dada uma palavra de gratidão pela sua colaboração ao António Frazão, Luís Silva e Marta Costa, que terminaram a sua presença, um agradecimento ao Alfredo e à Elisabete que continuam do Conselho anterior para mais um triénio, e também aos três novos elementos que aceitaram o convite para este serviço de corresponsabilidade na Paróquia.

A tomada de posse decorreu no terceiro domingo do Tempo Comum, que o Papa Francisco instituiu como o Domingo da Palavra de Deus, e foi sobre essa Palavra que prestaram o seu juramento. Na celebração foi também distribuída à comunidade a mais recente tradução eedição da Bíblia, dos quatro Evangelhos e Salmos, realizada pela Conferência Episcopal Portuguesa.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Festa da Apresentação do Senhor

No dia 2 de fevereiro, domingo, às 11h, teremos a celebração da Festa da Apresentação do Senhor, na igreja paroquial. A celebração começa no exterior da igreja, com a bênção das velas, a partir das 10h45. Durante a missa haverá a bênção das crianças e das mulheres grávidas.

O mesmo acontece em São Jorge, na missa vespertina, no sábado, dia 1 de fevereiro, com início às 19h, no exterior da capela, tendo também a bênção das crianças e das mulheres grávidas.

No final das celebrações, a Conferência São Vicente de Paulo terá filhoses para vender.

Encontro Vicarial de Catequistas

“Projeto em catequese: uma oportunidade” é o tema do Encontro para os catequistas das paróquias da nossa vigararia, no dia 31 de janeiro, sexta-feira, às 21h, no Centro Paroquial da Batalha.

Encontro dos jovens com o Bispo


A 7 de fevereiro, sexta-feira, o Sr. Bispo virá à nossa vigararia para estar com os jovens num tempo de oração, na igreja da Amieira, Batalha (junto à Ponte da Boutaca), às 21h30. Os jovens da nossa paróquia da Calvaria estão responsáveis pela animação musical deste encontro.

Para preparar este momento de oração com uma dinâmica prévia, e para ensaiar os cânticos, vai realizar-se um encontro, no sábado anterior, dia 1 de fevereiro, às 21h30, na cave da Casa Paroquial, para o qual se convidam todos os jovens da paróquia a participar.

«Arrependei-vos, porque está próximo o reino»

26 de janeiro de 2020 | 3º Domingo do Tempo Comum
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

Jesus começa a sua missão com o anúncio do «Reino dos Céus». Algo de novo está para surgir, e é o próprio Jesus que o faz acontecer: nas suas palavras, nos seus gestos, o «Reino» deixa de ser apenas um desejo e tornar-se real. Uma realidade que faz parte de cada um quando aceita a proposta de se deixar transformar: «convertei-vos».

O Evangelho conta como alguns homens o fizeram no princípio: de forma radical, deixaram tudo para trás para abraçar uma vida nova. Foram apenas os primeiros de uma história de acolhimento do anúncio do «reino», uma história que hoje é nossa, de cada um, na certeza de que a Palavra não deixa de chamar a deixar-se habitar e converter pela alegria do «Reino».

quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

5º ano celebra a Esperança


Os grupos do 5º ano da catequese celebraram, a 18 e 19 de janeiro, a Festa da Esperança.

O grupo de São Jorge no sábado, na missa vespertina, às 19h, e o grupo da Calvaria, no domingo, na missa paroquial das 11h, tiveram a oportunidade de contar a toda a comunidade os principais momentos da «História da Salvação», ajudando a compreender como Deus está sempre presente nesse "rio do tempo", acompanhando, ajudando e orientando, para que a humanidade reencontre sempre o caminho da salvação, rumo à salvação plena na eternidade.

Festa da Esperança 2020 São Jorge
Para ajudar a compreender este percurso pela história da humanidade, cruzada com a presença de Deus, que a torna também uma história de salvação, as crianças do 5º ano vão elaborando progressivamente a sua "barra cronológica", essa longa tira que representa o "rio do tempo" e onde o passado se cruza com o presente da vida de cada um deles.

Celebrar esta presença de Deus ao longo da história é também reforçar a esperança da presença de Deus na vida das pessoas e do mundo de hoje, continuando a encaminhar-nos para os caminhos da vida verdadeiramente bons e belos.
Festa da Esperança 2020 Calvaria

Casal do Relvas celebrou o Padroeiro

19 de janeiro, domingo, na véspera da memória litúrgica de São Sebastião, o lugar do Casal do Relvas celebrou o seu Padroeiro. Após a Missa, a procissão seguiu pelas ruas do lugar. No final, nas instalações da Sociedade Recreativa Relvense, viveu-se um tempo de convívio onde não faltaram as bifanas, o café da avó e as filhoses.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Festival de Sopas a 25 de janeiro

A Comissão da Festa em honra de Santa Marta de 2020 organiza um Festival de Sopas no sábado 25 de janeiro, na Casa do Povo da Calvaria de Cima, a partir das 20h. Para as inscrições contactar para 962311758, 244481936, ou 927206024.

«Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo»

19 de janeiro de 2020 | 2º Domingo do Tempo Comum
Leituras | Comentário | Avisos | Boletim

João Baptista dá o seu testemunho, apontando para Jesus: Ele é que é o «Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo», o «Filho de Deus» sobre quem repousa o Espírito. No início do seu Evangelho, João confronta-nos com um testemunho sobre Jesus que nos ajuda a fazer a leitura de toda história daquele sobre quem vai escrever: todos os seus atos, todas as suas palavras, toda a sua vida é o cumprir desta sua missão. E é já num ambiente pascal, de libertação – o cordeiro recorda-nos o cordeiro pascal – que somos convidados a olhar para Jesus que – também como o servo, feito cordeiro levado ao matador, do livro de Isaías – nos transporta para a vida que dele recebemos na cruz.

Antes de mais, e ainda no início deste tempo comum, reconhecer Jesus, acolher o Espírito que dele recebemos, deixarmo-nos santificar pela sua presença em nós. Sabermos que o fundamental é esta atitude de fé, de que se dispõe a depositar a sua confiança em que está disposta a dar a sua vida por nós. É nesta relação de amizade e confiança que se funda toda a nossa vida de seguimento de Jesus como cristãos.